Um simples saco de plástico


Neste momento em que a imprensa do país e do mundo estampam imagens da tragédia que se abateu na região da serra fluminense, reforça-se o necessário chamado de consciência para a questão ecológica.

Ecologia é algo muito mencionado, discutido mas pouco vivenciado. Basta que nos apercebamos de como o planeta está reagindo ao nosso descaso, à nossa inconsequente interferência, à maneira abusiva com que o tratamos, para termos uma visão mais realista da nossa co-responsabilidade em relação à tragédias como essa que ocorreram na região serrana do Rio de Janeiro. Não esquecendo que, há um ano, algo semelhante aconteceu em Angra dos Reis-RJ.

Não adianta agora ficar buscando culpados e, no conforto de nossas supostamente bem protegidas casa, ficar apontando o dedo acusando uns e outros, pelas páginas de relacionamentos sociais. É preciso que reconheçamos a nossa própria parcela de culpa nesse episódio. É necessário que enfrentemos a verdade nua e crua e paremos de transferir nossa culpa para os outros. É preciso que cada um de nós se pergunte: “O que é que eu fiz para evitar que isso acontecesse?”

Tragédias como estas acontecem para transformarem algo e que esse algo seja, antes de mais nada, a nossa maneira de vivenciarmos a nossa responsabilidade pessoal em relação ao assunto. Refletindo como nosso comportamento individual afeta o ambiente de uma maneira muito mais ampla do que pensamos, e que essas consequências podem ser muito funestas, temos a oportunidade de nos corrigir, prevenindo e até evitando que episódios como esses voltem a nos assombrar com seu rastro de mortes e destruição.

Hoje a postagem não traz uma análise de algum dos arquétipos do tarot, ou mostra uma maneira de jogar, ou apresenta uma orientação obtida através de algum oráculo. Hoje, a reflexão a respeito do que devemos saber para o futuro vem através da recomendação de que assistam a um pequeno filme. Se nós aceitarmos o fato que o futuro nada mais é do que uma continuidade, uma consequência, um efeito do nosso hoje, que, por sua vez, é o resultado de ações e eventos passados, esse filme é, então, uma projeção do que pode ser o futuro, baseado do que sabemos do presente.

O futuro não é algo difícil de se predizer quando se tem consciência da extensão das nossas atitudes, dos nossos investimentos e das nossas omissões no momento presente.

ScreenHunter_06 Jan. 15 12.16Ainda que hajam muitas razões para se duvidar, há vida inteligente na internet e o site WWW.FUTURESTATES.TV é um deles. Por que ele é hoje mencionado e recomendado aqui neste blog que se propõem, basicamente, a falar sobre tarot e outros oráculos? Porque ele, à sua maneira, também fala do futuro. E a maneira que esse provável porvir é apresentado é através de pequenos filmes ficcionais que retratam a visão particular de seus autores a respeito do futuro do planeta, da sociedade, baseado na realidade global que hoje presenciamos.

ScreenHunter_01 Jan. 15 12.11O site FUTURESTATES visa mostrar, através de imaginativos filmes de curta-metragem, como será o futuro, baseado na situação ambiental e tecnológica que vivemos hoje, sob a ótica de novos cineastas e pensadores. Ainda que, em sua apresentação, o site se refira às possíveis consequências ambientais que Estados Unidos sofrerão nos próximos anos, creio que possamos estender essa visão para qualquer região do mundo. Afinal o planeta é um só e os donos (e, portanto, responsáveis) somos todos nós, sem limites de fronteiras, de ideologias ou diplomáticos.

ScreenHunter_04 Jan. 15 12.15O filme, cujo link, está anexado à esta postagem é do diretor americano Ramin Gahrani e mostra de uma maneira quase épica o caminho “de vida” percorrido por um saco plástico em busca da mulher que a trouxe do supermercado para casa e que, finalmente, jogou-a fora.

 

ScreenHunter_02 Jan. 15 12.13Em seu atribulado caminho ele encontra estranhas criaturas, conhece a liberdade nos céu, chora a perda de sua ex-dona e tenta agarrar-se a um propósito na vida.

 

 

ScreenHunter_05 Jan. 15 12.15Finalmente, esse saco plástico acaba no oceano, entre as ondas e correntes de marés, em direção à grande concentração de lixo que existe no Oceano Pacífico. O Vórtex. Lá, ele encontra seu nirvana, onde poderá conviver com outros tantos iguais a ele e, aos poucos, nas centena de anos que o separam do seu fim, deixarem desaparecer as lembranças de sua antiga dona.

Como um dado curioso, quem faz a voz do saco plástico é o diretor de cinema Werner Herzog.

ScreenHunter_03 Jan. 15 12.13Ainda que o filme tenha uma qualidade plástica inegável e que a história das aventuras do “imortal” saco plástico em busca de sua dona original seja comovente, ele tem a finalidade de alertar para a durabilidade, a influência e as consequências que um único e simples, aparentemente inocente saco plástico, onde carregamos nossas compras, tem em todo o ambiente, numa região muito mais ampla do que a nossa vizinhança, onde o descartamos.

O site tem um alerta constante na forma de uma reflexão:

Pense a respeito:

Há um minuto atrás, este momento era o Futuro.

Daqui a um minuto, tudo pode mudar.

Obs: Clique em qualquer link ou imagem e será automaticamente conduzido para o local do filme.

Imagens: Cenas do filme “Plastic Bag” do site www.futurestates.tv

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s