Transmutar, em 2 cartas


A semana vai terminando e deixa um rastro de perda e de dor.

Há um grito comum na internet e nos demais meios de comunicação de que é chegada a hora de tomarmos consciência da nossa responsabilidade frente as catástrofes que sofremos. Não é mais possível fazer-se de cego às evidências. Mudanças precisam ocorrer para que outras centenas de pessoas não pereçam em acidentes como os ocorridos na região serrana do Rio de Janeiro nesta semana. Alguns sairão às ruas agitando bandeiras pela necessidade de um maior comprometimento com a ecologia. Outros não deixarão cair na rua, “sem querer”, o papelzinho, a filipeta, o comprovante de venda, o invólucro do bombom, o cigarro que carregavam. Não importa qual seja a dimensão, a forma ou a atitude do comprometimento, é necessário que o façamos, individual e coletivamente, já. O planeta já não suporta o nosso descaso, filhos ingratos que somos, desprezando e maltratando a terra que nos dá as condições básicas de vida.

Utilizei, nesta manhã, as cartas do Lenormand para uma tiragem sobre quais seriam as energias que estaríamos (todos nós) tendo que lidar no dia de hoje e o que deveríamos ou poderíamos fazer para transmutá-la para que trabalhasse em nosso favor.

O método utilizado é bastante simples, conhecido e do qual me valho com muita frequência: embaralha-se as cartas e reparte-se o baralho. A carta que estiver no meio, corresponde à primeira parte da questão. Aquela que for a última, complementa ou responde a informação.

068ac08_b068ac13_b

 

1ª Carta: Qual é a energia que vamos ter que lidar no dia de hoje (e, muito provavelmente, nos próximos dias)?

068ac08_bO Caixão: pode simbolizar acontecimentos ruins, comportamentos destrutivos, atitudes negativas, perdas materiais ou espirituais, fim de relacionamentos, perda de emprego, aposentadoria, doenças e até morte. Enfim, o caixão representa transformações de todos os tipos. Mas, como o Arcano XVI, a Torre, no Tarot, isso tudo pode ter um lado bastante positivo pois pode significar a libertação de um padrão que, este sim, era negativo. O planeta que rege esta carta é Plutão, o renovador, o transformador, o regenerador. Plutão nos fala do ciclo nascimento, morte e renascimento, ou seja, fins e começos. Sua força é a mais exaltada e costuma apresentar-se de maneira bastante agressiva, de forma violenta, explosiva, incontrolável.

 

2ª Carta: Como poderemos transmutar a energia simbolizada pela 1ª carta em algo que nos beneficie?

068ac13_bA Criança: esta lâmina costuma representar, ou anunciar, começo, novidade, inocência, pré-disposição, confiança, surpresa, futuro.

Crianças são imaturas, inexperientes, frágeis, mas são também o símbolo da esperança, da pureza de intenções, da continuidade, do porvir. Tendo a Lua como regente, essa lâmina nos fala de receptividade, de estarmos aptos e carentes para aprender, especialmente através dos sentimentos, das emoções.

 

 

Creio que fica evidenciada, nessa tiragem, que é o momento de nos utilizarmos dos nefando acontecimentos desta semana, dessa absurda e insensata perda de vidas, do que aprendemos com essa terrível experiência e buscarmos não ficar apenas nas lamentações, nas acusações, nos gritos de carpideiras, mas efetivamente fazermos algo para mudar. O que aconteceu, com todas as suas consequências, não deve ser apenas uma lembrança que se apaga bastando termos dias de sol e carnaval pela frente. Devemos fazer dessa tragédia ambiental, dessas vidas que se perderam algo construtivo, que demonstre claramente termos aprendido essa lição. É tempo, como o da juventude retratada pela carta da Criança, de buscarmos aconselhamento, buscarmos informação, aprendermos efetivamente, com humildade e perseverança.

É preciso que reconheçamos os nossos erros, as nossas omissões, a nossa parcela de participação nisso tudo que ocorreu e está acontecendo para que, só assim, possamos mudar. Não se transforma, não se altera, não se muda o que se desconhece ou, pior, o que não se reconhece. De nada adianta assumir passivamente a culpa e buscar um esconderijo na depressão. Mudança implica ação, então é tempo de arregaçar as mangas, dar um passo à frente e tomar controle da situação.

Que o façam os governantes. Para isso foram eleitos e são remunerados. Mas que a população civil não se esqueça que é ela quem deve agir efetivamente. Se eu não parar de fingir que não estou vendo, ou percebendo, que o papelzinho recebido na esquina “escorregou sem querer” das minhas mão e caiu na calçada, não me abaixar para pegá-lo e depositá-lo no lixo mais próximo, de nada adianta alarmes televisivos, notícias funestas em jornais ou mensagens exotéricas. Eu não estarei cumprindo a minha parte, por menos que ela possa parecer.

A lâmina da Criança, em seu aspecto menos favorável, pode simbolizar irresponsabilidade, descaso, imaturidade, descompromisso, uma atitude teimosa, caprichosa e desafiadora. Crianças, às vezes, veem a vida como uma grande e inconsequente brincadeira, um jogo de ganha-ganha. Esse aspecto, esse lado “sombra” da carta também deveria ser enterrado com o Caixão. Enterrado, não para escondê-lo sob um punhado de terra, mas para permitir que seja transformado em algo benéfico, positivo. Não mais, em frente às evidências, pode-se admitir esse tipo de descaso em relação à nossa casa (o Planeta), aos nossos semelhantes e a nós mesmos.

Estou vendo no calendário que celebra-se hoje o Dia do Enfermo. Vamos então aproveitar a data e celebrarmos, com nossas ações e comprometimentos, o dia em que todos começamos a curar a Terra.

 

Ilustração: Oráculo Lenormand

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s